Em Brasília, Mulheres Executivas apresentam pautas para os senadores do Paraná

Elas também tiveram agenda com o ministro Sérgio Moro para manifestarem apoio

(Foto: Artur Hugen/Ascom Flávio Arns).
(Foto: Artur Hugen/Ascom Flávio Arns).

Quarenta mulheres executivas de alta gestão do Paraná, que compõem o MEX Brasil, estiveram nesta terça-feira, 11, no Senado Federal a convite dos senadores do Paraná. Elas são dirigentes de empresas e têm o objetivo de contribuir com assuntos relacionados às diversas causas da mulher e do empreendedorismo.

A presidente do MEX Brasil, líder do Núcleo Paraná do Grupo Mulheres do Brasil e diretora-executiva da Lapidus Network, Regina Arns, entregou aos senadores Flávio Arns, Álvaro Dias e Oriovisto Guimarães uma pauta com propostas que afetam diretamente as organizações. “Somos 120 mulheres de negócios que nos reunimos mensalmente, há 12 anos, e trazemos essa pauta que representa a nossa visão e nossas defesas. Precisamos estar próximas do Congresso Nacional”.

Flávio Arns garantiu que sua assessoria vai analisar cada ponto das propostas, que passam desde as Reformas Trabalhista, Tributária, Previdenciária, até a educação e saúde. “Esses temas são muito importantes, além de contribuírem para uma agenda positiva. Vamos pontuá-los e ver de que forma podemos dar um encaminhamento”, afirmou.

Os senadores Álvaro Dias e Oriovisto, que também privilegiaram as mulheres empreendedoras, reconheceram a importância do emponderamento feminino e do trabalho realizado em prol do Brasil.

Nilva Amália Pasetto, presidente da Academia de Ciências Contábeis do Paraná, deu a sua opinião sobre a vinda ao Parlamento. “Precisamos de embasamentos políticos e técnicos para influenciar as decisões dos nossos negócios. É uma boa oportunidade de conversarmos com os senadores do Paraná, sobre assuntos pessoais e profissionais”.

Apoio do ministro Moro

As mulheres executivas – que representam empresas como Boticário, Electrolux, Volvo, Renault, RPC/Gazeta do Povo, Mondelez, Itaipu, Greca Asfaltos, Positivo Tecnologia, Grupo Opet, Gemalto e Votorantim – foram manifestar o seu apoio ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro. “O ministro fez um novo capítulo na história do nosso País e merece o nosso apoio”, ressaltou Regina Arns.

“Agradeço a solidariedade dos senadores do Paraná e das mulheres executivas, que têm o meu enorme respeito. O mundo só tem a ganhar com vocês em cargos de poder. Nesse momento difícil agradeço o apoio e tenho certeza que os fatos serão esclarecidos. As sementes foram lançadas para que no futuro possam florescer”, disse Moro.

Flávio Arns também destacou o apoio dos três senadores do Paraná ao ministro Moro. “Nós senadores e o grupo MEX Brasil de executivas do Paraná, parabenizamos a Operação Lava Jato, como fundamental para combater a corrupção e o crime organizado. Estamos juntos com o ministro e confiamos no seu trabalho”.

(Foto: Isaac Amorim/MJSP).
(Foto: Isaac Amorim/MJSP).
Reforma Tributária

O ex-deputado federal Luiz Carlos Hauly (PSDB/PR) fez uma palestra sobre a Reforma Tributária e destacou a Proposta de Emenda à Constituição 293/04, já aprovada pela Comissão Especial da Câmara dos Deputados. A proposta, segundo Hauly, vai gerar empregos, melhorar salários e arrecadações. Ele estudou a matéria por mais de 30 anos.

O texto busca simplificar o atual sistema, permitindo a unificação de tributos sobre o consumo e, ao mesmo tempo, reduzindo o impacto sobre os mais pobres. Outro objetivo é aumentar gradativamente os impostos sobre a renda e sobre o patrimônio e melhorar a eficácia da arrecadação, com menos burocracia.

A PEC 293/04 tem o apoio das mulheres que compõem o MEX Brasil e que ficaram empolgadas com a possibilidade dessa proposta ser apresentada no Senado Federal, uma sugestão que o próprio Luiz Carlos Hauly apresentou durante sua palestra.

“Tenho absoluta convicção que a Reforma Tributária contida na PEC 293 será aprovada por unanimidade, porque ela é suprapartidária e sua elaboração, fruto de um amplo entendimento nacional, envolveu todos os partidos, todos os setores da economia, dos empresários, dos trabalhadores e dos entes federados dos três níveis”, afirmou Hauly.

0 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta