Vereadores reprovam Projeto da reforma da previdência

Quem acompanhava a reunião aplaudiu os votos de rejeição

Foi reprovado por unanimidade na noite desta segunda-feira, 18, na câmara de vereadores de União da Vitória o projeto oriundo do executivo que tratava da reforma da previdência.

O projeto de lei em questão foi apresentado pelo executivo, depois de um estudo feito por uma empresa de consultoria contratada para avaliar e sugerir sobre o  Fundo Municipal de Previdência do Município de União da Vitória – Funprevi.

Todos os vereadores reprovaram o projeto que foi alvo de protestos desde a primeira sessão do ano de 2022. Inclusive nesta segunda, não foi diferente. Durante a sessão, 11 dos 13 vereadores justificaram seus votos. Eles alegaram, que em respeito ao funcionalismo publico e pela falta de conversas decidiram rejeitar.

Quem acompanhava a reunião aplaudiu os votos de rejeição. 

Inclusive já foi protocolado na câmara a possibilidade de abertura de uma CPI sobre o fundo. Segundo o presidente da Casa de Leis, Cordovan de Melo Neto, são mais de três mil páginas de documentos para serem analisadas e este estudo já teve início por parte do legislativo.

Segundo o prefeito Bachir Abbas, uma das melhores empresas do Brasil neste setor foi contratada para fazer o estudo sobre a situação do fundo. Ainda segundo ele, no ano passado cerca de R$ 20 milhões foram aportados para o fundo. E por mês, a administração desembolsa cerca de R$1,5 milhões para complementar a folha de pagamento. “Se não fosse isso, os aposentados não estavam recebendo sua merecida aposentadoria”, afirmou.

Segundo Abbas, os impactos da não aprovação serão sentidos a curto, médio e longo prazo. “Temos essa preocupação, mas aceitamos a decisão democrática por parte dos vereadores”. 

“Nosso trabalho será pautado em garantir a aposentadoria dos funcionários, mas também precisamos investir na cidade”, finalizou o prefeito.

 

 

 

 

 

 

0 COMENTÁRIOS

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse.

Ao prosseguir você concorda com nossos termos de uso.