Canoinhas tem cinco casos confirmados de dengue

·
Atualizado há 2 meses

O Ambulatório do Controle de Endemias da Secretaria de Saúde de Canoinhas confirmou o primeiro foco de dengue de 2024. “A partir desta quarta-feira, 20, faremos vistoria nos imóveis ao redor, num raio de 300 metros”, afirma a bióloga Cristina Brandes Grosskopf.

Os profissionais chegarão sempre com camiseta com identificação da prefeitura, crachá, carro ou moto com o brasão da prefeitura de Canoinhas; estarão com material de campanha e para coleta de amostras. “Muita atenção ao receber os agentes que deverão estar identificados”, esclarece a bióloga.

Somente neste ano foram inspecionados mais de 150 imóveis e mais de 1000 visitas nas armadilhas.

“Estamos sentinelas no controle ao Aedes aegypti com a inspeção de 161 armadilhas e 55 pontos estratégicos, mas solicitamos que as pessoas também façam a sua parte”, afirma Cristina.

O Aedes aegypti é transmissor da dengue, zika vírus, chikungunya e febre-amarela.

“Além de eliminar os focos é importante que as pessoas usem repelente”, destaca Cristina.

Canoinhas registra cinco casos confirmados de dengue. “São pessoas que possuem histórico de viagem”, salienta Cristina. Há outros dois em investigação (um para dengue, um para chikungunya).

Rio Negrinho recentemente confirmou transmissão autóctone no município: “isso acende o alerta em todo o Planalto Norte. Estamos com o vírus na nossa região”, ressalta a bióloga.

PARA EVITAR A PROLIFERAÇÃO DO AEDES AEGYPTI:

  • Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usá-los, coloque areia até a borda;
  • Guarde garrafas com o gargalo virado para baixo;
  • Mantenha lixeiras tampadas;
  • Deixe os depósitos d’água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água;
  • Plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água;
  • Trate a água da piscina com cloro e limpe-a uma vez por semana;
  • Mantenha ralos fechados e desentupidos;
  • Lave com escova os potes de comida e de água dos animais no mínimo uma vez por semana;
  • Retire a água acumulada em lajes;
  • Dê descarga, no mínimo uma vez por semana, em banheiros pouco usados;
  • Mantenha fechada a tampa do vaso sanitário;
  • Evite acumular entulho, pois ele pode se tornar local de foco do mosquito-da-dengue;
  • Denuncie a existência de possíveis focos de Aedes aegypti para a Epidemiologia