Desafio chamado de “quebra-crânios” gera risco de morte

Uma menina de 16 anos morreu no ano passado em decorrência da brincadeira; só agora o assunto repercutiu porque o desafio viralizou nas redes sociais

Um novo desafio, que vem sendo chamado de “quebra-crânios”, vem chamando a atenção de todos os segmentos da sociedade, em especial, entre os profissionais da saúde.

A “brincadeira” precisa de três participantes. Os dois que estão nas extremidades pulam primeiro. O participante do meio, sem entender a brincadeira, pula em seguida, sofrendo uma rasteira dos outros dois.

brincadeira-rasteira-escola
(Foto: Reprodução)

Diversos vídeos com a nova “brincadeira” estão circulando na web.

Um deles foi gravado há pouco mais de uma semana em um colégio de Caracas, na Venezuela, e se tornou viral. Nas imagens, o menino cai e bate violentamente com a cabeça no chão.

Em outro vídeo chocante, aparentemente gravado no Brasil, a pessoa que é derrubada fica desacordada. Há ainda um terceiro que mostra um adolescente supostamente fraturando o braço quando cai, enquanto alguns de seus colegas riem. 

Morte

Uma adolescente de 16 anos morreu após participar do desafio. Emanuela Medeiros bateu a cabeça no chão e sofreu traumatismo craniano ao entrar na brincadeira em uma escola municipal de Mossoró, no Rio Grande do Norte. A garota chegou a ser socorrida pela direção do colégio e foi levada a um hospital da região, mas não resistiu.

A morte de Emanuela foi em novembro do ano passado, mas só agora gerou repercussão e viralizou nas redes sociais.

Entrevista

A reportagem do Portal Vvale conversou com a doutora Loretta Campos, Pediatra e Consultora de Aleitamento Materno.

Dra. Loretta

 

A especialista insiste que os pais devem orientar os seus filhos para não participarem da brincadeira.

Confira:

0 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta