Fazer a doação de leite materno pode ajudar a salvar vidas

Atualmente, apenas 45% desses bebês prematuros e/ou com baixo peso internados nas Unidades Neonatais recebem leite materno doado ao Banco de Leite Humano

(Foto: Agência rádio Mais).
(Foto: Agência rádio Mais).

O Ministério da Saúde recomenda que a amamentação até os dois anos e que nos primeiros 6 meses o bebê receba apenas leite materno. Mas todos os anos, cerca de 330 mil crianças nascem prematuras no Brasil e, precisam da doação de leite materno para ajuda-las a sobreviver, pois em diversas situações suas mães não podem amamentá-los.

Atualmente, apenas 45% desses bebês prematuros e/ou com baixo peso internados nas Unidades Neonatais recebem leite materno doado ao Banco de Leite Humano.

Os estoques estão baixos e é preciso que a mulher que está amamentando e pode doar o seu leite,  ajude a aumentar o volume de leite humano distribuídos a esses bebês. Para isso, a coordenadora de Saúde da Criança e Aleitamento Materno do Ministério da Saúde, Janini Selva Ginani, recomenda entrar em contato com um Banco de Leite Humano para fazer a doação.

“As mulheres que possuem interesse em doar leite materno podem entrar em contato com um Banco de Leite Humano ou Posto de Coleta de Leite Humano mais próximo de sua residência para verificar os procedimentos de como doar. Em alguns estados existem, inclusive, serviços que realizam a coleta na própria casa da doadora. As mães podem se informar sobre a localização dos Bancos de Leite Humano e Postos de Coleta de Leite Humano no endereço eletrônico: saude.gov.br/doacaodeleite”

Qualquer quantidade de leite materno pode ajudar. Para se ter uma ideia, 1 ml de leite materno já é uma quantidade suficiente para manter nutrido um recém-nascido a cada refeição, dependendo do seu peso. O pote não precisa estar cheio para ser levado ao Banco de Leite Humano. Você mãe, que pode doar o seu leite, entre em contato com o Banco de Leite Humano mais próximo de sua casa.

“Doe leite materno. Nessa corrente pela vida, cada gota faz a diferença”.

Para mais informações, ligue 136 ou acesse o site saude.gov.br/doacaodeleite.

0 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta