NOVEMBRO AZUL: Quantos mais cedo os exames, maior chance de cura

Campanha mundial alerta os homens para cuidados. Câncer de próstata é o mote da mobilização

(Foto: Reprodução).
(Foto: Reprodução).

Depois do Outubro Rosa, é a vez do Novembro Azul, mês onde os homens são chamados para participarem mais ativamente dos cuidados como seu corpo. A campanha é mundial, iniciada ainda em 2003, e que espalha por onde passa a necessidade de os homens se tocarem, literalmente.

O mote da campanha é o câncer de próstata. E sobre o assunto, a página do Instituto Nacional do Câncer (Inca) traz uma relação de informações. A principal, é de que quanto mais cedo os exames preventivos forem feitos, maior é a chance de cura de um eventual câncer. O raciocínio é lógico, porém, esbarra no desconforto. É o que o diagnóstico mais preciso vem a partir do toque retal, exame que sim, é incomodo e até um tanto constrangedor. Mas, combinados com outros, como o PSA (Antígeno Prostático Específico), o resultado é conhecido.

Acesso gratuito no Vale do Iguaçu

É possível diagnosticar o câncer gratuitamente. E para isso, as unidades de saúde do Vale do Iguaçu oferecem suporte.

Em União da Vitória, por exemplo, os homens que buscam atendimento nas unidades de saúde para triagem de neoplasia de próstata, recebem atendimento do médico que já pode solicitar, pelo SUS, os exames que achar necessário como o PSA. Dependendo da clínica do paciente, ultrassonografia de próstata.  Para avaliação mais especializada, se necessário, o paciente é encaminhado para os médicos especialistas em Urologia, que também estão disponíveis pelo SUS.  Todos os homens têm o atendimento amplo e especializado, quando necessário.

Em Porto União, a dinâmica é semelhante. Todos os homens têm aceso aos exames para diagnóstico e em caso de maior necessidade, até mesmo do toque retal.

Coragem! É só um exame

Ele dura menos de dez segundos, mas é combustível para piadas e preconceito. O exame de toque, usado para diagnosticar o câncer de próstata não é bem aceito entre os homens. O mecanismo não chega a ser opcional mas esbarra nesta possibilidade. Antes dele, o exame de sangue o PSA, também contribui para a identificação da qualquer alteração. Na tentativa de chamar a atenção para uma das doenças mais comuns entre os homens e pela gravidade de sua ação no organismo, a campanha Novembro Azul ganha destaque. O projeto segue na tendência da prevenção iniciada primeiro pelas mulheres, no Outubro Rosa. Agora, é a vez deles.

Segundo o Inca, o câncer de próstata é o mais comum entre os homens. “Um em cada seis homens vai ter a doença”, confirmou o urologista, Fábio Pilz, em uma recente entrevista ao Grupo Verde Vale de Comunicação. Ele atende pacientes em União da Vitória e nos municípios. A doença tem cura e ela ocorre especialmente quando é identificada cedo. “Prevenção sempre é menos dolorido e aumenta a chance de escapar de uma doença que tem cura”, destacou.

A partir dos 40 anos, os homens devem ficar mais atentos. Nesta idade, o exame vale especialmente para quem tem histórico da doença na família. Quem não tem pode deixar para mais tarde e procurar o médico a partir dos 45 anos. A recomendação etária é da Sociedade Brasileira de Urologia.

“Apesar de todas as brincadeiras que são feitas em relação ao toque, as pessoas têm cada vez menos preconceito em relação ao exame. Mas, ele dura menos de dez segundos, não causa problema de saúde e não deixa o homem menos homem”, diz Pilz. “Na verdade, para fazer o exame, tem que ser macho”, brinca.

O câncer de próstata é silencioso. Ele não apresenta sintomas e é justamente por isso que o exame é recomendado. Em casos mais graves, a intervenção cirúrgica é necessária bem como são as sessões de radioterapia. Os resultados pós-operatórios – ou mesmo após as rádios – não são tão bons. Há casos de pacientes que precisam usar fraldas por um período e aqueles que encontram dificuldades para manter relações sexuais.

“Primeiro é importante deixar a pessoa viva. A vida é mais importante e o homem precisa deixar o machismo de lado e pensar nisso. As sequelas vêm depois, mas são tratáveis”, avalia o médico.

SERVIÇO

No Vale do Iguaçu, as unidades de saúde trabalham com o tema ao longo do mês. Contudo, de maneira diferente. Em União da Vitória, por exemplo, por celebrar o Agosto Azul, a cidade trabalha com o tema de maneira mais “leve”.

Em Porto União, a campanha acontece de maneira mais intensa, conforme as equipes de saúde. Por lá, todas as unidades de saúde promovem atividades diferenciadas.

“Orientações em sala de espera com palestras sobre promoção de saúde e prevenção de doenças com distribuição de preservativos e orientações sobre a importância do mesmo; aferição de pressão arterial, de peso, altura e circunferência abdominal; testes rápidos da hepatite B e C, sífilis e HIV; conferência das vacinas e distribuição de um questionário sobre os hábitos e possíveis problemas de saúde que estão sendo realizados”, diz o texto enviado pela equipe à reportagem.

Os profissionais ressaltam que as ações “vem ao encontro do mote do Novembro Azul, que é o desenvolvimento da prática do auto cuidado”.

0 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta