SAÚDE EM ALERTA: Sarampo

O que é? Quais os sintomas? Onde vacinar? Quem precisa da imunização?

(Foto: Reprodução).
(Foto: Reprodução).

Uma doença praticamente erradicada no País volta a assombrar. É o Sarampo, uma doença caracterizada pelas mancas vermelhas no corpo e que sem tratamento rápido e adequado, pode ser fatal.

Nos últimos dias, de acordo com o Ministério da Saúde, o Brasil registrou 5.404 casos confirmados de Sarampo. Dos casos confirmados nesse período, 97% (5.228) estão concentrados em 173 municípios do estado de São Paulo, principalmente na região metropolitana. Os outros 176 casos foram registrados em 18 estados, incluindo o Paraná e Santa Catarina. Até o dia 4 de outubro, foram confirmados seis óbitos por sarampo no Brasil, sendo cinco em São Paulo e um em Pernambuco. O Vale do Iguaçu também vem registrando casos suspeitos. Impulsiona a investigação dos casos o anúncio de suspensão das aulas em uma instituição de ensino superior.  O alerta existe, a falta de informação também.

Para a infectologista, Suzanne Pereira, é a até então erradicação da doença – não se falava em nenhum caso na última década – que fez com que o Sarampo voltasse. “As pessoas pensam que, por isso, não precisam mais se vacinar. Erradicação não significa que o vírus desapareceu, mas sim que não houve mais registro de casos com humanos”, publicou em sua página no Facebook.

A enfermeira da 6ª Regional de Saúde de União da Vitória, Valdirene Silveira, participou do programa CBN Linha Aberta no fim de semana. Ela alertou sobre os sintomas, que por serem muito parecidos com outras enfermidades, podem ser confundidos e retardar o início dos primeiros atendimentos. “Febre, tosse, dores no corpo, dor atrás dos olhos e depois de alguns dias, a pessoa apresenta as manchas mais elevadas no corpo, que começam atrás da orelha. Antes disso, tem um sinal único do Sarampo: as manchas esbranquiçadas nas bochechas e na parte interna da boca”, ressaltou.

A nova campanha, prevista para iniciar no dia 18, será direcionada para adultos na faixa-etária de 20 a 29 anos que não estão com a caderneta de vacinação em dia

Sobre a vacinação, é importante lembrar que o Ministério de Saúde disponibiliza neste momento (leia mais sobre a campanha) para outras faixas etárias também. “Dos seis meses aos 11 meses a gente chama de dose zero; um ano, a primeira dose e com quatro anos, a segunda dose da Tríplice Viral. Para os adultos, até os 29 anos, é preciso que essa pessoa tenha duas doses da vacina para estar imunizada. Dos 30 aos 49 anos, uma dose só. Todos os profissionais de saúde precisam ter duas doses independente da idade e neste momento estamos fazendo o bloqueio vacinal. Temos um caso suspeito, por exemplo, de Sarampo: todas as pessoas que tiveram contato com essa pessoa precisam ver seu esquema vacinal e se ele estiver incompleto, precisam fazer a vacina independente da idade”, explica a enfermeira chefe da Vigilância Epidemiológica de Porto União, Maria Cristina Gan.

É hora de vacinar!

Desde o dia 7 de outubro, o Brasil mantém a Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo em todos os postos de saúde, com foco em dois grupos. O primeiro foi até o dia 25 do mês passado, onde a imunização era para crianças de seis meses a menores de cinco anos de idade.

Já o segundo grupo, previsto para iniciar no dia 18 de novembro, será direcionado para adultos na faixa-etária de 20 a 29 anos que não estão com a caderneta de vacinação em dia. A meta é vacinar 2,6 milhões crianças na faixa prioritária e 13,6 milhões adultos. Apesar da faixa etária de 20 a 29 anos concentrar a maior parte desses brasileiros (35%), são os menores de cinco anos o grupo mais suscetível para complicações do sarampo.

Desde o início do ano, foram distribuídas 25,5 milhões de doses da vacina Tríplice Viral para garantir a todos os estados a vacinação de rotina, as ações de interrupção da transmissão do vírus e a dose extra chamada de ‘dose zero’ a todas as crianças de seis meses a 11 meses e 29 dias.

Mas afinal, o que é o Sarampo?

De acordo com o Ministério da Saúde, trata-se de uma doença infecciosa grave, causada por um vírus, que pode ser fatal. Sua transmissão ocorre quando a doente tosse, fala, espirra ou respira próximo de outras pessoas. A única maneira de evitar o sarampo é pela vacina.

Quais os sintomas?

Em torno de três a cinco dias, podem aparecer outros sinais e sintomas, como manchas vermelhas no rosto e atrás das orelhas que, em seguida, se espalham pelo corpo. Após o aparecimento das manchas, a persistência da febre é um sinal de alerta e pode indicar gravidade, principalmente em crianças menores de cinco anos de idade.

Como prevenir?

O sarampo é uma doença prevenível por vacinação. Os critérios de indicação da vacina são revisados periodicamente pelo Ministério da Saúde e levam em conta: características clínicas da doença, idade, ter adoecido por sarampo durante a vida, ocorrência de surtos, além de outros aspectos epidemiológicos.

Quais as complicações da doença?

O sarampo é uma doença grave que pode deixar sequelas por toda a vida ou causar o óbito. A vacina é a única maneira de evitar que isso aconteça.

Como é o tratamento?

Não existe tratamento específico para o sarampo. Os medicamentos são utilizados para reduzir o desconforto ocasionado pelos sintomas da doença. Não faça uso de nenhum medicamento sem orientação médica e procure o serviço de saúde mais próximo, caso apresente os sintomas descritos acima.

Quem tomou a vacina na infância, precisa repetir a dose?

Caso a pessoa tenha duas doses na carteira de vacinação, não vai precisar de outra dose. O Sarampo é diferente da gripe, que precisa de vacinação praticamente todos os anos.

0 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta