Vigilância Sanitária alerta sobre criadouros do mosquito da dengue

A parceria entre a população e o poder público é fundamental no controle da doença

A preocupação com a dengue e as medidas a serem adotadas para evitar criadouros do mosquito transmissor da doença, o aedes aegypti, a população já conhece. O problema, segundo a Vigilância Sanitária de União da Vitória, é que nem todas as pessoas tomam os cuidados necessários. Segundo os profissionais do Setor, às residências são visitadas, os moradores recebem orientações, mas nem sempre atendem as expectativas, no trabalho preventivo, que seria, simplesmente, evitar locais de acúmulo de água.

Diante desse quadro, a Vigilância Sanitária vem reforçar, junto à população, alertas sobre a importância de se manter os hábitos de eliminar os criadouros, reafirmando que, a parceria entre a população e o poder público é fundamental no controle da doença.

Para a realização do trabalho, a Vigilância Sanitária conta com os Agentes de Combate às Endemias, que visitam todas as regiões da cidade. A visita é feita de casa em casa e, posteriormente, eles voltam às residências que estavam fechadas.

Tem, ainda, os chamados ‘pontos estratégicos’ (oficinas, borracharias, cemitérios), onde a probabilidade de se encontrar criadouros para o mosquito é maior. Nesses locais, as visitas ocorrem, quinzenalmente.

O mosquito da dengue se reproduz em qualquer lugar que, houver condições propícias (água parada limpa ou pouco poluída). Portanto, a conscientização da população e a tomada de medidas são de fundamental importância para eliminar os criadouros e evitar a reprodução e proliferação do aedes aegypti.

Ao observar alguma situação que não possa resolver, o munícipe de avisar, imediatamente, um agente público de saúde para que uma medida eficaz seja tomada.

Confira as principais medidas de Combate a dengue:

– Não deixar água parada em pneus;

– Não deixar água acumulada sobre a laje e nas calhas de sua residência;

– A vasilha que fica abaixo dos vasos de plantas não pode ter água parada.

– Caixas de água devem ser limpas, constantemente, e mantidas sempre fechadas e bem vedadas;

– Vasilhas que servem para animais (gatos, cachorros) beber água não devem ficar mais do que um dia com a água sem trocar;

– As piscinas devem ter tratamento de água com cloro (sempre na quantidade recomendada). Piscinas não utilizadas devem ser desativadas (retirar toda água) e permanecer sempre secas;

– Garrafas ou outros recipientes semelhantes (latas, vasilhas, copos) devem ser armazenados em locais cobertos e sempre de cabeça para baixo;

– Não descartar lixo em terrenos baldios e manter a lata de lixo sempre bem fechada;

Serviço:

Para mais informações, procure a Vigilância Sanitária (Rua Coronel Amazonas, 495 – próximo ao Ginásio Isael Pastuch), das 9 às 12 horas e 13 às 17 horas ou entre em contato pelo telefone (42) 3903-1606.

0 COMENTÁRIOS