Empresário é desmascarado após 20 anos de falsidade em Brusque

·
Atualizado há 2 meses

Em um enredo que parece saído diretamente de um filme ou série, um empresário de Brusque, no Vale do Itajaí, foi descoberto pela Polícia Civil após passar duas décadas fingindo ser outra pessoa. A prisão por falsidade ideológica ocorreu nesta segunda-feira, 19, quando o setor de emissão de documentos da Polícia Científica levantou suspeitas e um inquérito foi aberto.

O delegado Odair Rogério Sobreira revelou que o homem de 43 anos, natural do Meio-Oeste catarinense, viveu metade de sua vida usando o nome registrado pelos pais no cartório. No entanto, ele “deixou de existir” de repente, sem deixar rastros de sua movimentação. Acredita-se que tenha assumido uma nova identidade a partir desse momento.

Desde sua chegada a Brusque, o homem já utilizava outro nome, com o qual abriu uma empresa na cidade e registrou os dois filhos que teve com sua família constituída no município. Surpreendentemente, nem sua esposa nem seus filhos tinham conhecimento da verdadeira identidade do homem. Ele teria conseguido criar uma nova identidade baseada em documentos falsificados.

A prisão ocorreu por volta das 14h30min, no bairro Santa Terezinha. A Polícia Civil de Brusque obteve um mandado de prisão com base nos crimes de uso de documento falso, falsificação de documento e falsidade ideológica. Na delegacia, o homem, acompanhado de advogado, preferiu permanecer em silêncio diante das perguntas do delegado.

Na residência da família, os agentes encontraram cartões bancários, cheques, documentos empresariais e carteira de motorista, todos utilizando o nome falso. O delegado Sobreira afirmou que há numerosas evidências da conduta ilícita. Resta agora descobrir a motivação por trás da mudança de identidade do homem.