Maníaco de Caçador pode ter praticado mais crimes

 

maniaco-caXXador-mortes
(Foto: Divulgação Policia).

A Polícia Civil de Caçador prendeu na sexta-feira (29) um jovem de 22 anos que pode ser um assassino em série. Ele é suspeito de ter cortado em três partes e enterrado em um matagal no interior do município outro jovem da mesma idade, cujo o corpo foi encontrado no sábado (30). Outros dois esquartejamentos são investigados, já que supostos vídeos onde ele aparece executando crimes foram feitos. Além disso, ele pode ter matado o próprio pai, crime que a mãe teria assumido, informou a Polícia Civil.

“Considerando os vídeos apreendidos e a prova robusta desse crime [da vítima de 22 anos], eu acredito que estamos diante de um ‘serial killer’. É uma pessoa que trabalhava, não gerava suspeita, é uma pessoa fria. A história abalou toda a população, inclusive os policiais que estiveram procurando o corpo”, disse o delegado responsável pela investigação, Eduardo Mattos.

Conforme Mattos, o suspeito foi preso na sexta na empresa em que trabalhava como auxiliar em serviços gerais em Caçador. Ele permaneceu calado, e se recusou a prestar depoimento. O inquérito sobre o crime do rapaz de 22 anos deve ser concluído nesta sexta (6), informou a Polícia Civil, após a reconstituição do crime.

Posteriormente, iniciam as investigações das outras mortes, a perícia nos vídeos, e então, a busca pelos corpos e a identificação das possíveis demais vítimas. O suspeito está preso no Presídio Regional de Caçador. Ele não tinha outros antecedentes criminais.

Crime do jovem de 22 anos

Conforme informações do delegado Eduardo Mattos, a vítima de 22 anos teria ido a uma festa em 21 de abril, onde teria exagerado na ingestão de bebida alcóolica e aceitado uma carona do suspeito, mesmo sem conhecê-lo. No trajeto, ele e o suposto autor do crime teriam se desentendido.

“Teria havido uma discussão entre eles, mas não chegaram a se agredir. A gente acredita que tenha sido esse o motivo do crime”, disse Mattos. Conforme o delegado, o suspeito primeiro asfixiou a vítima, depois a jogou em um matagal.

No dia 22 de abril, ele teria retornado ao local, esquartejou e enterrou o corpo. Os policiais encontraram no sábado (30) o tronco da vítima cortado ao meio, duas pernas e um braço também estavam cortados.

Uma testemunha levou a polícia até um ponto próximo ao local em que a vítima foi enterrada. A localização do corpo foi feita por cães farejadores dos bombeiros de Curitibanos.

Na operação, a Polícia Civil contou com o auxílio do Serviço Aeropolicial de Santa Catarina (Saer), dos bombeiros e canil de Curitibanos, além da Polícia Militar de Xaxim.

Filmagens de outros esquartejamentos

Durante as investigações, a polícia descobriu indícios de que o suspeito tenha envolvimento na morte de mais duas pessoas, e que teria filmado e mostrado vídeos a familiares.

“Há várias testemunhas que teriam visto no celular dele, pelo menos mais dois vídeos de outros corpos sendo mutilados, sendo que em um desses vídeos, ele aparece cortando uma pessoa ao meio”, relatou o delegado.

Segundo Mattos, o suspeito teria apagado esses vídeos do celular. A polícia apreendeu o aparelho e tenta recuperar as gravações com auxílio do Instituto Geral de Perícias (IGP).

Os outros corpos ainda não foram encontrados, nem as vítimas identificadas. A informação foi levantada durante as investigações da polícia, que também apontou o suspeito.

Morte do pai

O suspeito já era investigado com a mãe, que assumiu o crime, pelo envolvimento na morte do próprio pai em 2013. O crime ocorreu em São Cristóvão do Sul, no Vale do Itajaí, mas a vítima só foi encontrada vários dias depois, em uma fazenda no município de Santa Cecília.

Matéria Rádio Destaque Regional

0 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta