Smartphone é uma das principais ferramentas de compra online

Na palma da mão: comércio online já conquistou a confiança dos internautas

Realmente a tecnologia está na palma das mãos. Na verdade, nas pontas dos dedos. Com alguns cliques, é possível vender, escolher e comprar, com a facilidade de ver tudo ali, na telinha, sem precisar sair de casa. Às vezes, não é preciso nem sair do sofá. Esta forma de comprar acontece tanto que virou objeto de pesquisa para a equipe do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). Um recente estudo sobre o assunto mostrou que 74% dos internautas usam celular em, ao menos, uma etapa de compra online. A pesquisa mostra que o consumidor digital brasileiro está mais maduro e familiarizado com as mudanças tecnológicas no mercado.

Os dados mostram ainda que os smartphones já são a principal ferramenta de compra para 33% dos internautas que costumam adquirir produtos pela internet. O uso do dispositivo móvel para compras é ainda maior entre o público jovem (48%), pessoas das classes C, D e E (38%) e mulheres (37%). O computador, seja um desktop ou um notebook, ainda é o instrumento mais usado na hora de adquirir produtos na internet, com 66% de preferência.

Considerando o processo de compra pela internet como um todo, a pesquisa revela que o celular já é utilizado por 74% da amostra em ao menos uma de suas etapas, como pesquisa de produtos e serviços (32%), comparação de preços (28%) e pagamento (14%). Apenas 24% dos entrevistados admitem não contar com o auxílio do celular nas compras que faz online.

Para a Coordenadora de Conteúdo da Girafa Comunicação, Aline Graef, o protagonismo dos dispositivos móveis para o comércio online é tendência agora e deve aumentar os próximos anos. A popularização de pacotes de dados de internet móvel e do alcance maior da banda larga, contribuem para isso. “Entendo que isso vai crescer muito mais ainda. Hoje em dia, empresas que não têm aplicativos para compra online, perde clientes”, avalia. “É o caminho”, completa. Segundo Aline, até mesmo no Vale do Iguaçu, os lojistas já visualizam este futuro tecnológico.

Algumas empresas já têm página de compra na internet que pode ser acessada por quem mora na região, mas também quem está em qualquer outro lugar do País. Embora esteja em uma fase inicial, algumas marcas também exploram as plataformas amplas como o Mercado Livre, por exemplo, onde ambos os envolvidos obtêm – e ampliam – lucros de venda. Para a coordenadora, os aplicativos de mensagens também estimulam os negócios informais. Pela rede, são negociados um pouco de tudo: desde a doação de filhotes de cachorrinhos até venda de casas e carros. “A loja física não vai deixar de existir, mas a evolução é realmente para a tecnologia”, diz a Coordenadora.

De modo geral, os resultados da pesquisa apontam que o comércio online já conquistou a confiança de grande parte dos consumidores conectados. Levando em conta a última aquisição que fizeram pela internet, 85% dos internautas ficaram satisfeitos, contra apenas 10% de compradores que se dizem arrependidos.

Outros dados

Para os consumidores conectados, as lojas online já ocupam a primeira posição dos canais mais utilizados para fazer compras no último ano: 93% de menções, ficando à frente das lojas de rua (62%) e dos shopping centers (58%).

Os fatores que os internautas mais levam em consideração ao escolher um site ou aplicativo de compras é a possibilidade de frete grátis (58%), o preço dos produtos (51%) e a reputação da loja (37%). Em cada dez entrevistados, sete (68%) se sentem mais estimulados a comprarem pela internet quando não há cobrança de frete e 42% quando o tempo de entrega é reduzido.

Na opinião dos internautas que têm como hábito consumir pela internet, a principal vantagem percebida nesse tipo de compra é o preço mais baixo (53%), a comodidade de comprar sem sair de casa (43%) e a flexibilidade de poder realizar compras no momento em que quiser (33%). Em contrapartida, as desvantagens mais notadas são o pagamento de frete (64%) e o fato de não poder experimentar ou tocar o produto (58%).

Segundo o levantamento, 64% dos internautas admitem que já desistiram de uma compra pela internet no momento de concluir o pagamento e, nesses casos, o preço do frete, que encarece o valor final do produto (54%), é o principal empecilho.

Outra informação observada na pesquisa é a fidelidade do cliente online. Quando a experiência de compra é positiva, o consumidor tende a visitar novamente a loja online para novas aquisições. Exemplo disso é que 91% dos entrevistados já compraram mais de uma vez em um mesmo site ou aplicativo, sobretudo em virtude da confiança na marca (53%) e pelos melhores preços (43%). Outro dado é que quando querem comprar um produto em uma loja online desconhecida, 67% pesquisam o seu índice de reclamação em sites e aplicativos.

A pesquisa revela que, nos últimos TRÊS MESES, cada comprador online fez, em média, QUATRO AQUISIÇÕES NA INTERNET

O que é SMARTPHONE

Um aparelho smartphone tem o mesmo modelo de um celular. O que muda, basicamente, é o seu interior, já que diferente de um celular, o smart possui sistema operacional, o que significa que ele tem programas melhores, equivalentes aos computadores. Smartphone é um telefone celular, e significa telefone inteligente, em português, e é um termo de origem inglesa.

0 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta