7 dicas para evitar as ciladas de viagem mais comuns

Destino perfeito e companhia certa são os principais fatores para o sucesso de uma viagem, mas o viajante experiente sabe que não são suficientes. O elemento surpresa muitas vezes pode ser o tempero mágico para uma experiência feliz. Mas se ele acontecer por vacilo ou falta de programação, pode arruinar as tão sonhadas férias.

Sozinho ou acompanhado, rumo ao oceano ou às montanhas, neste ou em outros continentes, pelo céu, pelos mares, trilhos ou rodovias: independente de como será a viagem, o mais importante é que ela comece com um planejamento cuidadoso antes do embarque. Separamos algumas dicas para quem quer evitar ser vitima das mais comuns ciladas de viagem.

1. Comprar passagens aéreas com antecedência

Essa é a mais clássica, então não é a toa que seja a primeira regra da lista. Os preços das passagens oscilam bastante e atualmente a tecnologia permite que se possa acompanhar essa variação nos sites de vendas. Todas as companhias aéreas costumam promover ofertas relâmpago, portanto a dica é ativar os alertas dos sites com o máximo de antecedência possível e ficar ligado para garantir uma boa compra.

2. Verificar o passaporte e a documentação

Comprar as passagens sem verificar se o passaporte está dentro do prazo de validade é um vacilo dos grandes, se a viagem for internacional. Caso o destino seja doméstico, também é preciso verificar se o documento de identidade está em condições necessárias para conseguir embarcar sem dor de cabeça.  Em viagem com crianças sem um dos pais, é necessária a autorização da outra parte junto ao juizado de menores.

3. Investir tempo para pesquisar hospedagens

Ter endereço certo para ir assim que chegar à cidade de destino diminui a ansiedade e evita perrengues, mas não basta fazer reserva com antecedência. É importante desconfiar de preços atraentes demais, gastar tempo lendo avaliações na internet ou buscar indicações com amigos e conhecidos. Não tem cilada maior do que chegar ao hotel, pousada, hostel ou Airbnb e descobrir que a localização ou as acomodações não estão de acordo com as expectativas. Ou pior: que foi vítima de golpe e que a hospedagem nem existe. Algumas empresas fornecem facilidades para quem quer agilizar as coisas. O consumidor que busca voos em promoção na MaxMilhas, por exemplo, já consegue reservar a hospedagem no ato: no resultado da pesquisa, a empresa já mostra opções de acomodação para o destino escolhido via Booking.com.

4. Aprender a fazer a mala

Para muita gente, arrumar a mala é um pesadelo. Apesar da difícil missão, vale a pena se planejar para não correr o risco de pagar excesso de bagagem ou sofrer com o excesso de peso nos traslados. Levar apenas o necessário e ter espaço para carregar compras são regras básicas. É preciso se informar sobre as variações do clima do local e estar preparado para qualquer situação, mas sem exageros. Levar peças que possam ser repetidas, básicas, confortáveis e feitas com tecidos que não amassem muito são os segredos da mala perfeita.

5.  Criar roteiros

Explorar o desconhecido é a motivação mais comum entre os amantes de viagens, mas é recomendado ter pelo menos um roteiro básico. Sites e blogs de viagens são os melhores amigos na hora de organizar cronogramas de passeios e planejar opções em caso de chuva ou outros imprevistos. Ter em mente previamente os locais que farão valer a pena o tempo e o dinheiro que serão investidos ajuda muito quem quer voltar para a casa sem arrependimentos.

6. Cuidar bem do dinheiro

Um dos desafios para uma viagem financeiramente  tranquila, é calcular bem o quanto gastar por dia e saber resolver a equação da quantidade de dinheiro em espécie a se levar versus o quanto poderá ser gasto no cartão de crédito. Para relaxar durante os passeios, a dica é levar consigo somente a quantidade de cash necessária para aquele dia e se assegurar de que o restante esteja bem guardado no local de hospedagem, de preferência em cofres, armários ou malas trancadas.

7. Fazer um seguro viagem

O seguro de viagem é obrigatório em alguns destinos internacionais, mas se surgir a dúvida se este recurso é importante mesmo quando o país de destino não exige, a resposta é só uma: sim, vale a pena. Fazer uma viagem com a certeza de que haverá assistência adequada em caso de problemas de saúde não tem preço. A dica é pesquisar as melhores opções de custo/benefício nos sites das seguradoras. Para saber mais, acesse o post da MaxMilhas sobre a importância do seguro viagem.

0 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta