Circuito interestadual de cicloturismo entra na fase de implantação

Projeto idealizado pela Atema e Aceuv tem boa adesão de municípios da região

Atema -  (3)O projeto de uma rota interestadual de cicloturismo na região do Vale do Iguaçu está em fase final de implantação. O processo foi iniciado em abril de 2018, pelo especialista em cicloturismo, Cleiton Dias, que apresentou um projeto para implantação do circuito interestadual de cicloturismo para a Associação de Turismo e Meio Ambiente do Vale do Iguaçu (Atema) e Aceuv, que imediatamente se entusiasmou com a possibilidade de fomento ao turismo de pedal.

Depois de apresentar a ideia da Rota de Cicloturismo no ano passado para os prefeitos da Amsulpar e do Planalto Norte Catarinense, o projeto ganhou corpo. E tudo o que se precisa para uma rota interessante, tem de sobra na região: as belezas naturais, históricas e culturais da região são pontos fortes para implantação de um circuito de cicloturismo.

Atema -  (4)Conforme Dias, o ideal era traçar a rota com pelo menos 240 quilômetros com o que de melhor a região oferece, cercado de infraestrutura e oferta de pousadas, restaurantes e, principalmente, atenção por parte dos envolvidos. Para viabilizar a sondagem de viabilidade, o especialista propôs o mapeamento de rotas e locais favoráveis para os cicloturistas. Depois do mapeamento, o circuito deve ter 400 quilômetros.

As reuniões realizadas durante o ano de 2018 envolveram representantes das prefeituras de União da Vitória, Porto União, Irineópolis, Bituruna, Porto Vitória e General Carneiro com a Associação de Turismo e Meio Ambiente (Atema) e a Associação Comercial (Aceuv) serviram para fomentar uma ação que está, agora em 2019, saindo do papel: a definição da mais longa rota de cicloturismo do Sul do Brasil, sendo a única interestadual do sul do Brasil.

De acordo com Dias, a ideia é definir agora um trajeto de aproximados 400km passando pelos pontos considerados turísticos dos municípios envolvidos.  “Uma empresa especializada está à frente da definição do roteiro que, na última quinta-feira, 03, foi visitando ‘in loco’ com uma equipe técnica nos municípios de Irineópolis, Porto União e União da Vitória”, disse.

Ainda segundo o especialista, os representantes da empresa responsável pelo mapa atuaram na sexta-feira, 04, nos municípios de Porto Vitória, Bituruna e General Carneiro, na região centro sul do Paraná. “O objetivo da visitação foi de elaborar um anteprojeto do roteiro”, explicou.

Próximos passos

Atema -  (7)Depois de definida, apresentada e acatada a rota, serão instaladas as placas de sinalização para orientar os turistas ciclistas. Para que esses visitantes cumpram o roteiro permanecendo em nossa região por quatro, cinco ou mais dias.

O uso de tecnologias de ponta, em navegação, será disponibilizado para os cicloturistas, inclusive com certificação digital de conclusão do percurso. Como é extenso a ideia é cumprir o roteiro em até cinco dias, ou mais.

A infraestrutura do percurso foi o ponto principal para traçar a rota interestadual. “O turista de pedal é diferente, ele chega de bicicleta, precisa de lugar para passar uma água no equipamento, guardar sua bicicleta, se alimentar. O turista comum, chega de carro, guarda e vai para um hotel, essa é a diferença na modalidade que coloca o turista em contato com a natureza”, classifica Dias.

Já para a Atema a ideia é que a largada para este passeio seja justamente sobre a linha de limite dos municípios de União da Vitória e Porto União, possivelmente entre as duas rodoviárias municipais.

Setor em ebulição

Empresários, comerciantes e profissionais do setor trabalham pesado para desenvolver o turismo como fonte de renda e desenvolvimento para a região. A Atema reuniu entusiasmados ciclistas por diversas ocasiões no ano passado, para percorrer trechos de mais de 20 quilômetros, objetivando demonstrar que qualquer um pode ajudar a conservar nossas belezas naturais.

Essas atividades, antes isoladas, despertaram para a necessidade de implantar projetos maiores envolvendo a região. Com a proposta de Cleiton Dias, o cicloturismo vai ganhar o impulso que precisava, gerando empregos, renda e mostrando a região para o mundo.

Dia 26 de janeiro

Depois de percorrer e mapear por terra todo o circuito, os mapas serão entregues às prefeituras participantes do projeto. Até o dia 26 também será entregue toda a parte do site. Após a entrega desse material, será desenvolvida toda a parte de placas e sinalização, e nesse meio tempo estaremos em conversa com as prefeituras para marcar a data do pré-lançamento da rota interestadual de Cicloturismo.

Luto e saudade

ElieserEm meio ao ritmo frenético de trabalhos, houve um tempo para lembrar Eliéser Lourenzzetti (foto ao lado), vítima de um atropelamento, em Tijucas do Sul quando participava da prova Audax 400, de Florianópolis em junho do ano passado. Um carro, com placas de Tijucas, teria batido em sua bicicleta.

Com a violência do impacto, ele foi arremessado e não resistiu aos ferimentos. Eliéser já tinha pedalado 360 km, faltando apenas 40 para completar a prova, quando o acidente aconteceu.

A morte de dele causou uma profunda comoção no Vale do Iguaçu, já que além de ciclista de competição, Eliéser era um dos pioneiros da criação do circuito na região.

Até o fechamento desta reportagem, a morte do diretor das unidades do Senac de Porto União e de Canoinhas não foi esclarecida pela autoridade policial de Santa Catarina.

0 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta