Onda de assaltos continua na região

Fim de semana registrou dois assaltos à mão armada em União da Vitória

Entre as vítimas do assalto na OIxisolda, uma criança de apenas três anos foi obrigada a deitar e ficar de rosto para o chão
Entre as vítimas do assalto na OIxisolda, uma criança de apenas três anos foi obrigada a deitar e ficar de rosto para o chão

Dois assaltos. Modus operandi parecidos: elementos encapuzados, armados de revólveres. Os bandidos estão ficando ousados em União da Vitória. Nas últimas semanas foram registrados assaltos com bandidos de carro, motocicletas, bicicletas e até a pé mesmo. O alvo preferido: comerciantes. A ocorrência que movimentou a polícia na sexta-feira, 30, foi registrada na Avenida Bento Munhoz da Rocha Neto, Bairro São Bernardo, na empresa Oxisolda, onde as vítimas, proprietários e funcionários, foram rendidos por quatro elementos armados com revólveres calibre 38.

Além dos adultos, uma criança de apenas três anos foi obrigada a deitar e ficar com o rosto voltado para o piso. Depois de muitas ameaças, os assaltantes exigiam saber do cofre da empresa. Como não havia dinheiro no cofre, os assaltantes tomaram celulares, carteiras, documentos e outros objetos. De acordo com informações a quadrilha levou cerca de R$ 1 mil em espécie, além dos objetos pessoais das vítimas e fugiram em veículos não identificados. A polícia investiga uma Pick-Up S10, preta, que teria sido vista rondando o local. Na manhã de ontem várias câmeras de segurança já estavam instaladas no prédio da Oxisolda.

Outro assalto parecido

Já no sábado, 31, às 18h20, na Avenida Irati, Bairro João Paulo II, a PM atendeu outra ocorrência de assalto. De acordo com uma comerciante, dois elementos de aparência física jovem, armados e encapuzados, chegaram a pé. Ela reconheceu que eram jovens pela voz e pelo porte físico. Anunciado o assalto, em poucos segundos recolheram o dinheiro (quantia não especificada) e fugiram. Um terceiro elemento teria dado suporte à fuga em um veículo VW Gol branco. Apesar da rapidez da polícia, nenhum suspeito foi encontrado ou identificado.

Comerciantes querem segurança

Os dois episódios não foram os primeiros e não serão os últimos. E os motivos são fáceis de explicar. A Polícia Militar conta com 117 militares para atender toda a região Sul do Paraná (Amsulpar), muito pouco até para uma Companhia Independente. O governador Beto Richa acenou com a transformação da 2ª CIPM em Batalhão de Polícia Militar. Na prática, isso significaria aumento significativo do efetivo. No entanto a demanda ficou em segundo plano.

Os poucos policiais civis que existem para atender oito municípios da região Centro Sul do Paraná. Recente sondagem nas estatísticas da Secretaria de Segurança do Paraná (SESP-PR) revela um dado alarmante: a 4ª Subdivisão Policial (4ª SDP) com sede em União da Vitória é a última em número de investigadores e escrivães. Os dados são referentes ao ano de 2013. Segundo relatório que consta no Departamento de Polícia Civil, Divisão Policial do Interior (DPI), a delegacia de União da Vitória conta com oito investigadores atualmente. Em toda a SDP, com abrangência de oito municípios, o número de investigadores chega a 11. Considerando que a população atendida é de 137.295 habitantes, a 4ª SDP disponibiliza um investigador para cada 12.481 habitantes.

0 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta