Milho no Monjolo

Odilon Muncinelli

Milho no Monjolo – 08 de Fevereiro de 2019

MULHERES EM DESTAQUE

Desde o ano passado, a professora e pesquisadora Ivanira Tereza Dias Olbertz está debruçada no Projeto “Mulheres Que Construíram Porto União da Vitória”, com objetivo de prestar justa e merecida homenagem às mulheres que se destacaram na área profissional, cultural e social. Todas serão retratadas em quadros pintados à óleo. Vale lembrar algumas delas, em ordem alfabética: Amasília da Costa Pinto Araújo, Araceli Rodrigues Friedrich, Astrogilda de Mattos, Aurea de Souza Clausen, Adelaide Barbosa, Alice Ihlenfeld, Carlota Pioli, Djanyra Amin Pasqualin, Elly Weinand, Irene Rucinski, Lair Silva, Lili Matzenbacher, Maria Belisária da Luz, Maria Daluz Augusto, Maria Limongi, Metha Loise Moecke, já falecidas. E Aldair Wengerkiewicz Muncinelli, Clarice Roderjan Manfroni, Delci Aparecida Hausen Christ, Fahena Porto Horbatiuk, Helga Beate Will Clementino da Silva, Irene Winter, Jacira Ayres Fischer, Laurete Dub Pinto Conte, Leni Trentim Gaspari, Salime Farah, Therezinha Leony Wolff, ainda vivas.

TRÊS ACADÊMICOS

A edição comemorativa ao centenário de fundação do jornal Gazeta do Povo, que circulou no último fim de semana, dias 2 e 3, traz colaborações de três membros da Academia Paranaense de Letras (APL). Antônio Carlos Carneiro Neto – cadeira n.º 40, Dante Mendonça – cadeira n.º 1 e José Pio Martins -cadeira n.º 37 pontificam nas páginas da Edição Centenária. Fundada por Benjamin Lins e Oscar Joseph De Plácido e Silva, a Gazeta do Povo viveu seu esplendor sob o comando do jornalista e advogado Francisco da Cunha Pereira, falecido em 2011, que ocupou a cadeira n.º 18, da Academia Paranaense de Letras.

ESTATUTO DO IDOSO 

Na manhã da última segunda-feira, dia 04, recebi, mediante ofício, um exemplar do “Estatuto do Idoso”, numa gentileza do Município de Porto União, SC. Segundo o ofício: “Desejamos que a leitura dessa legislação possa de alguma maneira, servir de subsídio na sua área de atuação, trazendo-lhe ainda mais sucesso na sua trajetória diária como intermediador indispensável à administração da justiça”. Eliseu Mibach. Nota: Agradeço a gentileza!

BOLETIM

No meio dia da última terça-feira, dia 05, recebi, via Correios, dois exemplares do Boletim do Instituto Histórico e Geográfico do Paraná 2018, que reúne valiosos estudos, ensaios, artigos e anotações a exemplo de “Antônio Tavares: O Guerreiro Esquecido do Contestado”, “Guaraqueçaba: A Vovózinha do Paraná” e outros. Nota: Como Associado Correspondente, desde dezembro de 2014, agradeço a remessa de tão importante publicação!

Beira do Iguaçu, Fevereiro de 2.019

Odilon Muncinelli é Membro da ALVI e do IHGPR   

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *