Milho no Monjolo – 11 de Janeiro de 2022

LUTO

Na noite da última terça-feira, dia 04, em Curitiba, Paraná, o advogado e velho amigo Caio Soares “mudou-se para o andar de cima”, aos 77 anos de idade. Nascido em Porto União, Santa Catarina, Caio Marcio Nogueira Soares era filho do inesquecível casal médico Lauro Muller Soares (ex-Prefeito Municipal de Porto União, Santa Catarina) e dona Antonieta Nogueira Soares e irmão de Lauro Nogueira Soares e Luiz Roberto Nogueira Soares, ambos falecidos. Era formado em Direito pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), na Turma de 1970. Era Conselheiro Aposentado do Tribunal de Contas do Paraná (TCE-PR). Antes de ser nomeado atuou em outras funções públicas e privadas. Para o jornalista e Conselheiro do TCE-PR Jaime Lechinski: “CAIO SOARES: O PERITO EM GENTE SAI DE CENA”. “Nunca se viu alguém como ele. Por onde passava, deixava um rastro de alegria, conquistava corações e mentes. Com humor surreal e inteligência cortante, tinha definições certeiras, o que fazia dele um grande conselheiro político e um amigo com quem se podia confidenciar sem medo. Lúdico, decodificava assuntos complexos em enunciados de simplicidade desconcertante. Tinha empatia, entendia de gente como poucos… Um perito em gente! Nele transbordava o que a moderna ciência classifica de inteligência social, atributo hoje tão valorizado até no mundo corporativo. Uma vez imaginamos um filme sobre ele, que se chamaria simplesmente Caio. Mas daí o publicitário Sergio Mercer, seu amigo inseparável, ponderou  que só Fellini poderia dar conta da empreitada e, mais, não haveria ator capaz de alcançar a dimensão do personagem. Nunca poderemos fazer o filme, mas ele sempre passa em nossas cabeças. E vai continuar em cartaz em nossos corações, ainda mais agora que o Caio sai de cena”.

LUTO

Na última sexta-feira, dia 07, em Porto União, Santa Catarina, a professora e velha amiga Alzira Domingos “mudou-se para o andar de cima”, aos 92 anos de idade. O Decreto Legislativo no 681, do dia 18 de dezembro de 2019, concedeu à professora Alzira Domingos, o Título de Cidadã Benemérita de Porto União, Santa Catarina, pelos bons serviços prestados à Educação e ao Progresso do Município. Pena que a pandemia não permitiu a entrega da Honraria a tempo e modo. Nascida no dia 17 de maio de 1929, em Porto União, Santa Catarina, Alzira Domingos era uma entusiasta da cultura das Cidades Irmãs e das raízes árabes, da qual era descendente. Idealizadora e doadora do Museu e Biblioteca “Aniz Domingos”, iniciado em outubro de 2010, na divisa dos Municípios de União da Vitória (PR) e Porto União (SC), nas proximidades da Praça do Contestado. Doadora de dois terrenos na Avenida Santa Rosa, no Bairro do mesmo nome, para ser construída uma Escola pelo Município de Porto União, Santa Catarina.

ESCREVE A LEITORA

“Bom dia, Amém!(…). Jesus Amado! A Lya Luft, quando escreveu PERDAS e Ganhos, fez um serviço enorme para o País já na escolha do título, pois é triste escutar e ler “PERCAS”… né Professora??? Concorda?? Um beijão pros dois! Izabel Calliari”.

ESCREVE O LEITOR

“A gaúcha Lya Luft, cujo nome me deparo desde os 21 anos, tinha o dom da boa autoridade. Sem dúvida, uma ausência significativa nas letras brasileiras. O céu também merece sua finesse! Ari Martendal”!

Beira do Iguaçu, Janeiro de 2.022.

Odilon Muncinelli – ALVI, IHGPR e AJEBPR.